O QUE PODE UM CORPO DE RUA? EXPERIMENTAÇÕES VADIAS E POTÊNCIAS NOMADIZANTES

  • Djalma Thürler Universidade Federal da Bahia
  • Fabio Di Rocha Universidade Federal da Bahia

Resumo

O texto trata de um movimento nômade em cultura e arte com foco em novas epistemologias e que investe na diversidade dos processos inventivos e criativos propondo modos mutantes de expor, dispor e produzir o real. O “cinemavivo” que propomos, a partir da ideia de “corpos trágicos”, é um cinema que não tem uma moradia fixa, que permanentemente muda de lugar e deseja quebrar com a estereotipia cromático-discursiva promovida pelo cinema-modelo, elaborada a luz da subjetividade dominante, e que nas nossas experimentações vadias, “à contrapelo”, vira material potente de revide e de acerto de contas.

Biografia do Autor

Djalma Thürler, Universidade Federal da Bahia
pesquisador do CLAEC – Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura e do CULT – Centro de Pesquisa Multidisciplinar em Cultura, da UFBA. É Professor permanente do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade e Professor Adjunto do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e coordenador do Grupo de Pesquisa em Cultura e Sexualidade – CuS
Fabio Di Rocha, Universidade Federal da Bahia

Fabio Di Rocha é mestre pelo Programa de Pós-Graduação Multidisciplinar em Cultura e Sociedade do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC) da Universidade Federal da Bahia. Salvador. BA. Brasil.

Publicado
2017-01-23
Seção
Dossiê: Arte, Gênero e Sexualidade