O OUTRO LADO DE FALAS DE SI. O QUE PODEM ENCENAR

  • Paulo César García Universidade Federal da Bahia

Resumo

Neste texto, reúno considerações de como Michel Foucault teatraliza o discurso. Trata-se de um referencial crítico que tomo, a partir do ponto de partida em seu discurso, para ler a dramaturgia contemporânea, objetivando questionar o sujeito em crise. Retratar o lugar para expor a si no gesto de enunciação, criando uma “espécie de monólogo lírico” é proposital para a reflexão de poder falar de si, encenando-se. O espaço da dramaturgia é problematizado por este lugar, tendo em vista a maneira de politizar a assunção da voz pelo corpo que se coloca em cena, tendo o poder de dizer de si e com muitas outras falas que operam como fonte de criação do texto dramático.

Biografia do Autor

Paulo César García, Universidade Federal da Bahia
Professor Titular da Universidade do Estado da Bahia do Curso de Licenciatura em Letras – Núcleo de Estudos Literários e do Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural do Campus II (UNEB). É Doutor em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e cumpriu estágio Pós-doutoral na Universidade Federal da Bahia (UFBA). É associado ao GT da ANPOLL Homocultura e Linguagens e do Grupo de Pesquisa Enlace (UNEB) e Cultura e Sexualidade (CUS /UFBA).
Publicado
2017-01-23
Seção
Dossiê: Arte, Gênero e Sexualidade