ANTROPOFAGIA, DISSIDÊNCIAS E NOVAS PRÁTICAS: O TEATRO OFICINA

  • Marcelo de Troi Universidade Federal da Bahia
  • Leandro Colling Universidade Federal da Bahia

Resumo

Na intenção de mapear a construção de novos saberes-poderes e de uma “metodologia indisciplinar antropofágica”, a partir do Teatro Oficina Uzyna Uzona, dirigido por José Celso Martinez Correa, o artigo coloca a Universidade Antropófoga como uma precursora dos artivismos das dissidências sexuais e de gênero no Brasil.

Biografia do Autor

Marcelo de Troi, Universidade Federal da Bahia
Mestrando no Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade da Universidade Federal da Bahia, e pesquisador do grupo de pesquisa em Cultura e Sexualidade – CUS. De 1998 a 2000 foi membro do Teatro Oficina. E-mail: troi.marcelo@ufba.br
Leandro Colling, Universidade Federal da Bahia
Doutor em Comunicação e Culturas Contemporâneas e professor permanente do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade, da Universidade Federal da Bahia, onde coordena o grupo de pesquisa Cultura e Sexualidade (CUS). E-mail: leandro.colling@gmail.com.
Publicado
2017-01-23
Seção
Dossiê: Arte, Gênero e Sexualidade