A COMUNICAÇÃO EM FÁBRICAS RECUPERADAS POR TRABALHADORES: FLUXOS DE INFORMAÇÃO OU RELAÇÕES DE COMUNICAÇÃO

  • Júlio Arantes Universidade de São Paulo – USP (Brasil) Universidade de São Paulo – USP (Brasil)
Palavras-chave: relações de comunicação, homologia da produção, comunicação e trabalho, fábricas recuperadas

Resumo

Apresentamos um conjunto de reflexões sobre a categoria Trabalho, na perspectiva das investigações em ciências da comunicação e pretendemos com isso atingir dois objetivos: a) discutir a pertinência do tema trabalho para as ciências da comunicação, mostrando de que maneira comunicação e trabalho estão presentes na ontogênese do ser social. Para contribuir com a discussão, apresentamos o conceito de homologia da produção como forma de compreender, na ontogênese, a indissociabilidade entre trabalho e comunicação e, nas sociedades de classes, particularmente no modo de produção capitalista, o seu desenvolvimento e complexificação; b) confrontar a noção de comunicação como fluxo de informação, explicitando seu caráter instrumentalizado nos processos produtivos e apresentar a noção de relações de comunicação como possibilidade compreender, de um ponto de vista materialista histórico, os processos comunicacionais no trabalho e na sociedade.

Biografia do Autor

Júlio Arantes Universidade de São Paulo – USP (Brasil), Universidade de São Paulo – USP (Brasil)

Jornalista, Mestre em Linguística com ênfase em Análise do Discurso, Doutorando em Ciências da Comunicação pelo PPGCOM da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Desenvolve pesquisa junto ao Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT), com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

Publicado
2015-02-05
Seção
DOSSIÊ TRABALHO COMUNICACIONAL: ASPECTOS DE COMUNICAÇÃO E TRABALHO COMO ATIVIDADE E COMO MERCADORIA