Entre boateiros e espiões: os ataques do submarino U-507 e os estrangeiros do Eixo sob o olhar da imprensa sergipana (1942-1945)

  • Dilton Cândido Santos Maynard
  • Priscila Antônia dos Santos

Resumo

Entre os dias 16 e 17 de agosto de 1942, na faixa litorânea entre Sergipe e Bahia, o submarino alemão U-507 torpedeou os navios mercantes brasileiros Baependy, Araraquara, Aníbal benévolo, Itagiba e Arará. Este artigo analisa o tratamento dispensado aos chamados “súditos do Eixo” (alemães, italianos e japoneses) pela imprensa sergipana, após a divulgação dos ataques. As análises foram baseadas na leitura de quatro periódicos sergipanos do período: Correio de Aracaju, Folha da Manhã, O Nordeste e o Sergipe-Jornal. O texto destaca as manifestações de revolta e perseguição a estrangeiros e o esforço frequente de parte da imprensa para apontar no estrangeiro o principal culpado pela tragédia nos mares brasileiros.

Publicado
2021-11-30
Seção
Artigos